quinta-feira, 23 de setembro de 2010

TG Entrevista a cantora Patricia Marx

Hoje 23/09 Patricia Marx deu uma entrevista para o "Tudo gato"


Muita gente admira artistas por se identificar com seu trabalho, claro, mas pouca gente sabe das paixões deles fora do mundo artístico. Ou seja, se você lê aqui curiosidades sobre gatos, é porque lhe interessa e, se gosta de uma personalidade e descobre que ela também admira os bichanos, aí você terá ainda mais motivos para acompanhar sua trajetória.

O que mais gosto nessas “celebridades” é sua facilidade em formar opiniões. Não sei se é simplesmente por supervalorizarmos quem está em evidência nas mídias, mas se eles chegaram onde estão, seja lá o que faça, é porque se esforçaram de alguma forma (a maioria pelo menos) e merecem certo crédito.


A entrevistada de hoje no Tudo Gato é a cantora Patricia Marx, que julgo uma dessas personalidades merecedoras da boa imagem que têm.

Não vamos falar do passado dela, que todos estão carecas de saber, mas sim de seu novo trabalho e paixão pelos animais.

-


Tudo Gato: Patrícia Marx & Bruno E. é o novo projeto em que está envolvida. Numa recente apresentação sua num programa da TV Gazeta, você disse que é um disco que fala muito sobre ecologia e proteção dos animais. Essa intimidade com a natureza é algo que costuma cultivar há muito tempo?


Patricia Marx: Na verdade eu disse que esse disco se tratava de expressar a natureza externa como ecologia, meio ambiente e animais, e interna tal como nossa natureza interior, o cultivo do amor próprio e para com os outros, paz, harmonia e reconhecimento de que somos todos Seres de Luz e nosso dever em fazer somente o bem. E essa minha forte ligação com a natureza já vem desde pequena e cresce cada vez mais. Tanto que virei vegetariana há 12 anos. Não fazia sentido eu amar a natureza e os animais e comê-los. Para mim são todos iguais e merecedores do mesmo amor e compaixão.


TG: Conte mais alguma curiosidade desse seu novo trabalho!


Patricia Marx: Esse é um projeto especial que resolvi fazer com Bruno, meu marido e também produtor musical. Especial por ser diferente de tudo o que vínhamos fazendo na musica eletrônica desde então. A sonoridade é tranquila, acústica e simples. Também trabalhamos com o formato “canção” ao contrario do que propõe a musica eletrônica, que é minimalista e sem refrão. Queríamos voltar às raízes
das musicas que eram feitas na década de 60 e 70 no Brasil principalmente. São 11 composições nossas, algumas com parceiros como Oswaldinho da Cuíca em “Carnaval de Ilusão”e também o nosso amigo nigeriano, radicado em Londres, XantonéBlacq em vocais, teclados e letras como “Three Short Stories”, “Minha Paz”e “You’reFree”. Fizemos também, uma regravação de “Passaredo”do Chico Buarque e Francis Hime por se tratar de uma música ligada à natureza e que fala sobre a relação do homem com os animais.


TG: Uma fonte segura me disse que você gosta de gatos! Você tem algum bichano em casa? Conte um pouquinho sobre eles e/ou outro animal que tenha em casa!


Patricia Marx: AMO!! Aliás, todos os animais!


Na verdade, minha mãe tem quatro gatos há muito tempo e eu nunca entendia o jeitão deles. Sempre achei que eles não estavam nem aí pra gente, rs!


Até que um belo dia, fui sair com meus dois cachorros pra passear e quando abro a porta do meu prédio, lá estava ela do lado de fora. Uma gatinha linda, cinza, de olhinhos amarelos, com carinha de Persa olhando pra mim e miando. E eu soube depois, que ela já estava lá desde cedo parada na porta. Talvez estivesse perdida ou esperando por alguém. Enfim. Fiquei morrendo de dó, pois ela se esfregava na minha perna, me pedindo alguma coisa.


Daí levei-a para a veterinária que sempre cuida dos meus bichos, para ver se doava pra alguém que gostasse e fosse cuidar bem dela. Mas ela estava com Rino-Traqueíte e haviam muitos gatos na clínica. E como essa doença é contagiosa somente de gato para gato, a Dra. Lúcia me perguntou se eu poderia ficar com ela provisoriamente em minha casa, dando os antibióticos que ela precisava para melhorar.


Não tive dúvidas e me prontifiquei a cuidar, mesmo sabendo que a minha vira-lata não iria gostar nem um pouco de uma outra fêmea em casa. Foi um trabalhão, porque além de cuidar dela, ainda tinha que adaptar todos os animais juntos (uma vira-lata que resgatei da rua chamada Nina e um Yorkshire de 17 anos chamado Dizzie) em um apartamento.


Mas pedi ajuda a uma amiga que é adestradora da Cão Cidadão – a Patrícia Patatula e ela me deu várias dicas para melhor adaptá-los e foi uma aventura! rs


Por fim a gatinha foi melhorando, foi ficando bonitinha, os cachorros mais acostumados e eu não resisti...Fiquei com ela!


Hoje a Yumi, nome que dei à ela, está linda, gordinha e muito brincalhona. É o xodó da casa. E eu passei a entender mais o jeito deles, que é muito diferente dos cachorros. Como diz o Bruno, meu marido, os cachorros são latinos e os gatos, saxônicos! rs


TG: Por que se identifica com eles? Acha que, de alguma forma, podem ajudar num “processo de criação”?


Patricia Marx: Passei a me identificar com eles pelo jeito reservado, misterioso e aquele famoso “só faço quando quero”rs


Acho que o que me ajuda a compor e criar, são todos os momentos de amor, carinho, brincadeira e descontração que eles nos dão. Posso estar nervosa ou mesmo ansiosa e elétrica


TG: Conte alguma situação interessante ou engraçada que presenciou com sua gata!


Patricia Marx: Ah, é sempre engraçado brincar com ela. Sempre dou boas risadas com a Yumi. Chega 6 horas da manhã, quando acordo meu filho para ir pra escola, ela quer comer e brincar muito. Então enquanto meu filho toma banho, eu fico brincando de pega-pega e esconde-esconde com ela pela casa. É o maior barato!!


TG: Acha que as ações/propostas do governo são suficientes para “salvar” o meio ambiente? As pessoas poderiam fazer algo diferente para contribuir com a natureza e os animais?


Patricia Marx: Claro que essas ações nunca serão suficientes, se todos nós enquanto indivíduos, não nos conscientizarmos das questões ÉTICAS com relação aos animais e ao meio ambiente. Eu muitas vezes dou uma de chata quando vejo alguém na rua com um saquinho plástico para recolher as fezes do animal. Eu acabo abordando a pessoa e falo sobre recolher com jornal, que desmancha e não agride o meio ambiente, que eu também tenho animais, etc, etc.


Infelizmente, as pessoas não pensam no coletivo, na rede que se interligam em nossas escolhas e ações. É tão simples... Será que é preguiça de pensar ou preguiça de mudar os velhos hábitos já não cabíveis a essa nova era da contenção do desperdício?


A alimentação com base na carne também é uma ação que muitos ainda não têm ideia do grande impacto que isso gera no planeta, na nossa saúde, na vida dos animais de abate e pela sociedade em si. Pois a metade da produção de alimentos é destinada à ração para animais de abate. E a carne desses animais é acessível a uma pequena parcela da população humana. Se o consumo de carne fosse abolido, e as safras de grãos e hortaliças antes destinadas aos animais fossem repassadas para as pessoas, o problema da fome mundial estaria solucionado, a preços mais baixos e com menos impacto ambiental, social e para a saúde humana.


Isso sem contar com o sofrimento de milhões de animais que são explorados pelo homem de forma inaceitável e numa escala insustentável. Animais que levam uma vida de sofrimento, medo e privação nas fazendas de abate. O holocausto para eles nunca acaba.



TG: Deixe uma mensagem para os seus fãs que acompanham a entrevista no Tudo Gato!


Patricia Marx: Gostaria de agradecer a oportunidade de estar aqui, falando dos animais e pelos animais também. Creio que a informação muda conceitos, influencia as pessoas e eu que sou um canal de comunicação, procuro sempre fazer pensar. Por isso agradeço muito pela atenção de todos vocês e que possamos assim, fazer de cada ação, cada escolha nossa, sempre a melhor para o Todo!
Também estarei mensalmente escrevendo na coluna do ANDA – Agência de Notícias dos Direitos Animais - http://www.anda.jor.br/2010/09/09/carceres-amorosos/



O novo trabalho de Patrícia Marx resgata o samba-jazz e afro-samba dos anos 60 e 70 com lindas levadas de violão e a bela voz da cantora.

Fonte:tudogato.com

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Patrícia Marx no Super Sucesso

Hoje 09/09 tem Patrícia Marx no
www.supersucesso.com.br na 99.3 FM - das 22h às 00h
Telefone: 4004-0435 ramal 1112 Torpedo SMS: (11) 8311-0940 PROGRAMA GERAÇÃO!!!!!!!

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Agenda

01/09 Clic TV UOL na internet
Entrevista com Silvio Ribeiro (Programa Replay)
Horario: 14 horas

07/09 TV GAzeta - Programa Todo Seu com Ronnie Von
Horario: 22 horas

09/09 Programa Geração com Ricky Collavito
Horário: 22 horas

www.supersucesso.com.br
08/10 Show no Bongo Bar em Porto Alegre
Musicas do novo album "Patricia Marx e Bruno E"

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Ouça as Música de Patrícia Marx